APRUMAREspecial GourmetO torresmo crocante da Jandira da APRUMAR

Redação AssisCity27 de novembro de 2018

Há cerca de três anos, Jandira Nogueira Batistela tem deixado sua marca na memória e no paladar dos frequentadores da Feira da APRUMAR em Assis.

Os amigos e clientes se reúnem nas noites de sexta-feira, quando a feira é realizada há 12 anos, para apreciarem dentre todas as opções o delicioso torresmo preparado por ela.

A venda das comidas ajuda Jandira no orçamento do mês, mas isso não é o principal. Para se distrair da vida no campo que toma boa parte do seu dia, o contato com os clientes e que já se tornaram amigos deixa a noite mais prazerosa para bater um papo e passar momentos descontraídos.

“Eu comecei na Feira da APRUMAR desde o primeiro dia e sigo desde então. Comecei vendendo cocada e paçoca, mas há cerca de três anos decidi trazer minha receita de torresmo e que tem sido um sucesso”, conta.

As generosas porções são separadas por Jandira ainda durante o preparo, para que possam ser fritas na hora e servidas bem quentinhas.

“Uma vez eu fiz essa porção na minha casa, onde uma amiga experimentou e gostou bastante. Foi ela quem me incentivou a também trazer para a Feira. Não tem muito segredo no preparo. Começa com a manta do porco cortada em pedaços, que eu fatio e congelo. Depois trago para cá e frito na hora para os clientes poderem comer bem quentinha”, afirma.

A porção serve até quatro pessoas e tem seus segredinhos. O óleo tem que estar quente, mas não pode ser muito, porque senão queima o torresmo. “Na hora de fritar, a gente tem que fazer com bastante calma e paciência, para o torresmo ficar no ponto e bem crocante”, revela.

A porção também acompanha pedaços de mandioca e o limão, que dá o toque especial para quem gosta. “Quando eu tenho no sítio, trago limão rosa, que também é chamado de caipira ou cravo. Mas quando não tem, trago de outras variedades também, porque combina com a carne de porco”, salienta.

Além do torresmo, Jandira ainda segue fazendo compotas e doces caseiros. Paçoca, cocada, além das compotas de doces caseiros, como de abóbora, mamão e doce de leite que lembram qualquer infância assim como as geleias de pimenta, amora e morango. O doce destaque é de pau de jaracatiá com doce de leite. “É uma árvore da mesma família do mamoeiro e que o pessoal relembra os tempos dos antigos”, conclui.

Jandira Nogueira Batistela é uma das feirantes mais antigas da APRUMAR
A porção acompanha limão rosa e mandioca cozida

Deixe seu Comentário