Especial SaúdeJairo Ortega e a maratona para sua recuperação

Redação AssisCity21 de janeiro de 2019

Após a internação, o atleta assisense Jairo Ortega voltou para casa e iniciou uma verdadeira maratona para sua recuperação. Ele ficou um mês e meio completamente sem movimento no corpo e precisou reaprender a andar, a movimentar os braços, as mãos e até mesmo reaprender movimentos que consideramos tão simples, como escovar os dentes e comer sozinho.

Para isso, ele contou com a ajuda de profissionais como fisioterapeutas, fonoaudiólogos e psicólogos, que são amigos corredores e felizmente prestaram atendimento de forma voluntária.

“A medicação ajuda o organismo a se recuperar, mas funciona em conjunto com a fisioterapia diária. Os nervos param e temos que reaprender a andar, a fazer os movimentos como escovar os dentes e comer sozinho, por exemplo. Depois que eu saí do hospital, ainda tive uma paralisia do lado direito do corpo e por isso também precisei do trabalho do fonoaudiólogo, para recuperar os movimentos da boca. Felizmente em uma semana estava conseguindo retomar os movimentos. É muito importante o trabalho dos profissionais que, no meu caso, são amigos pessoas, corredores, e só tenho a agradecer. Nos finais de semana tento fazer os exercícios sozinho ou com a ajuda da minha esposa, mas nada como eles estando perto, orientando e dando aquela força. O apoio da psicóloga também é essencial. No começo eu não gostava muito, mas depois vi a importância. Ela sempre me diz que se quiser chorar, chore, então isso também é um apoio para os momentos de tristeza”, ressalta.

Jairo tem uma sala especial em sua casa, onde ele guarda cerca de 680 troféus, conquistados com muito suor e dedicação ao longo destes quase 40 anos de corrida. O seu preparo físico foi importante para vencer as provas, mas também ajudou muito para que ele conseguisse recuperar os movimentos mais rapidamente e dar os passos que ele tanto comemora.

                   Jairo coleciona medalhas e troféus

“Desde o começo o médico ressaltou essa questão de que, por praticar atividade esportiva, minha musculatura estava sempre ativa. Inclusive as pernas voltaram primeiro, enquanto os braços estão meio bobos ainda. A prática do esporte favoreceu muito na recuperação até agora e daqui para frente. Dentre as mais de 1000 corridas que já participei, essa é a verdadeira corrida que estou enfrentando. Só quem passa para saber a dificuldade. Recebi visitas de pessoas que já tiveram essa doença e puderam me contar um pouco da sua história, mas cada um de nós para saber a dificuldade e a angústia.

Tenho fé de que vou chegar onde eles estão, porque já voltaram a trabalhar, estão levando uma vida normal e indo até na academia. Pretendo me recuperar e voltar a correr, nem que for devagarzinho lá atrás. Já tive muitas vitórias na parte esportiva e sempre foi super gratificante, mas pretendo daqui para frente ser o último a chegar, mas ter a oportunidade de trocar os passos e correr. Estou feliz com a história que construí e agradeço mais uma vez o apoio de todos na minha recuperação, seja financeiramente, com orações, nas palavras de incentivo. Espero com fé levar uma vida normal com a minha família, meus amigos e vencer esse desafio, que é o maior de todos”, conclui.

Deixe seu Comentário