Especial SaúdeCaso Thiago e a perda de peso antes da cirurgia

Redação AssisCity4 de fevereiro de 2019

Nesta reportagem você acompanha mais um capítulo da história do assisense Thiago Cristiano dos Santos contra a obesidade mórbida. Após conseguir a colocação do balão intragástrico, ele começou a perder peso para realizar a tão sonhada cirurgia bariátrica.

“Era muito arriscado que eu fizesse a cirurgia pesando quase 250 quilos. Depois de conseguir o apoio do doutor Paulo Teixeira e de sua equipe, eu também precisava de ajuda para conseguir abaixar o peso. Foi quando a GFE fez a doação do balão intragástrico, que foi essencial para esse objetivo”, afirma.

Thiago fazendo a primeira refeição após colocar o balão intragástrico

Com a ajuda desse tratamento complementar, Thiago conseguiu perder quase 20 quilos após tantas batalhas.

“Consegui perder quase 20 quilos em cerca de um mês. Claro que, para quem pesava 250 quilos, parecia muito pouco. Mas eu já estava no extremo e o que eu conseguisse perder seria ótimo, já que segurança da cirurgia dependia disso. Por isso fiz uma dieta balanceada e tive muita força de vontade, o que felizmente foi o bastante para dar mais esse passo contra a obesidade”, salienta.

Apesar da ajuda que o balão proporcionou, Thiago pondera algumas questões.

Thiago perdeu peso antes de fazer a cirurgia bariátrica

“De fato, senti que meu apetite diminuiu muito enquanto estava com o balão, porque o estômago fica preenchido. Mas a pessoa tem que entender que, depois que o balão é retirado, o apetite volta com tudo. Quando eu tirei, tinha vontade de comer até a parede. Por isso eu considero que ele ajuda, mas a gente tem que reaprender a comer para não ganhar peso de novo e às vezes até mais do que tinha. Além disso, o balão é por um período só, não é definitivo, então eu indicaria para quem está precisando realmente passar por reeducação alimentar e não só para quem quer perder peso mais rapidamente”, explica.

A nutricionista Adriana Freitas ressalta que o mais importante é que o paciente consiga mudar seus hábitos alimentares.

“A presença do balão dentro do estômago causa uma sensação de plenitude. O paciente se sente satisfeito mais rapidamente quando se alimenta, ou seja, quando o balão é retirado tudo volta como era antes. A forma de controle mais indicada consiste na mudança dos hábitos alimentares deste paciente, que deve acontecer independente do tipo de intervenção realizada para contribuir de forma positiva para o sucesso do tratamento. O próprio paciente ou seus familiares podem perceber algumas atitudes que revelam uma possível compulsão alimentar, como alimentar-se rápido demais; ingerir alimentos sem ter fome; continua comendo, mesmo se sentido satisfeito; alimenta-se sozinho, se escondendo de outras pessoas; sente-se triste ou culpado após as refeições realizadas”, afirma.

Nutricionista Adriana Freitas

Segundo ela, as pessoas devem prezar por uma alimentação equilibrada e que não precisa ser cara.

“A orientação é sempre para uma alimentação equilibrada e sem exageros. Ressalto que uma alimentação saudável não precisa necessariamente ser cara. Ela deve ser colorida, composta por alimentos variados. Também deve ser saborosa, precisa ter qualidade e ser consumida na quantidade certa. As frutas, verduras, legumes e cereais integrais contêm vitaminas, fibras e outros compostos que auxiliam as defesas naturais do corpo e devem ser ingeridos com frequência”, conclui.

Deixe seu Comentário