Especial GourmetCarne de porco frita na banha acompanhada de mandioca cozida

Sempre enaltecendo as tradições do ambiente rural, Dona Preta é a responsável pela barraca Delícias do Campo, na feira da APRUMAR. Além das delícias que já mostramos aqui, como o biscoito de polvilho, pão de queijo e o caldo de mandioca no fogão a lenha, a equipe do AssisCity Gourmet também conseguiu descobrir os segredinhos de mais um prato que é sucesso entre os clientes: a carne de porco frita na banha. O prato é...
Bruna AssisCity11 de fevereiro de 2019

Sempre enaltecendo as tradições do ambiente rural, Dona Preta é a responsável pela barraca Delícias do Campo, na feira da APRUMAR.

Carne de porco é frita e conservada na banha

Além das delícias que já mostramos aqui, como o biscoito de polvilho, pão de queijo e o caldo de mandioca no fogão a lenha, a equipe do AssisCity Gourmet também conseguiu descobrir os segredinhos de mais um prato que é sucesso entre os clientes: a carne de porco frita na banha.

O prato é servido com um arroz branco bem soltinho e mandioca cozida, que é mole de dar gosto. Sobre a protagonista da receita, Dona Preta revelou que a carne é muito saborosa porque é conservada na banha, de um jeito bem tradicional da roça. Ao invés de guardar no congelador, ela é frita e fica fechada em uma lata.

Prato é servido com mandioca cozida

 

 

 

“O importante é deixar a carne toda coberta com a banha, em uma embalagem bem lacrada e fechada, para evitar qualquer problema. Além disso, ela tem que ser armazenada em um lugar fresco, podendo ficar até três meses guardada”, explica.

Para servir os clientes, Dona Preta prepara tudo na hora e dá água na boca de quem passa pela feira. O prato é simples e sustenta bastante, ideal para quem está com fome e quer fazer uma refeição cheia de sustância. Além do cheiro inconfundível, o aconchego e o olhar acolhedor de vó torna a experiência de provar essas delícias do campo ficarem ainda mais incríveis.

Clientes podem comer na hora ou levarem para viagem

Quem frequenta a APRUMAR desde seu início, há 11 anos, sente falta de ver um casal unido, do início ao fim da feira. Em meio à prosa sobre comida, Dona Preta relembrou a perda do seu companheiro Antônio e da volta por cima que ela deu para continuar o trabalho iniciado pelos dois.

“Foi muito difícil perder o meu companheiro Toninho. Nós já tínhamos comemorado 50 anos de casado, mas Deus chamou ele. Ele faz muita falta ainda hoje e por isso mantenho o nome da barraca com o nome dele”, acrescenta.

A mulher corajosa disse que ficou sem chão, mas lembrou o quanto ele amava a APRUMAR e decidiu voltar. Hoje ela conta com a ajuda da amiga Maria da Conceição Gonçalves e segue com muita fé em Deus e coragem, levando as delícias do campo para todos que passam pela feira.

Dona Preta (à direita) com a amiga Maria da Conceição

A Feira da APRUMAR é realizada toda sexta-feira, a partir das 16h, na Avenida Armando Salles de Oliveira, 1111, em Assis.

Confira também:

Caldo de mandioca no fogão a lenha
Barraca da Dona Preta na APRUMAR, o pão de queijo e o biscoito de polvilho

 

Deixe seu Comentário